RETOMANDO A HISTÓRIA

Em meados da década de 1950 o Coronel José Adolpho de Aguiar iniciou o loteamento de suas terras dando origem a um novo bairro residencial que recebeu o nome de sua esposa. Nascia, assim, a Vila Silvéria. Seguindo a vontade de sua esposa, a Sr Silvéria de Aguiar, o Coronel Adolpho desmembrou parte de sua fazenda que passou a pertencer a Paróquia de São Domingos de Gusmão. Tal doação tinha por objetivo a construção de uma Capela em honra à Sagrada Família, com o auxílio de pessoas religiosas e amigas do casal, a Capela foi aos poucos sendo construída. A inauguração se deu aos dezessete dias do mês de março de 1957, sob as bênçãos do então Pároco de São Domingos, o Revmo. Sr. Pe Emílio Philippini.

A Capela era pequena e simples, mas encantava a todos pelos belíssimos vitrais que foram trazidos da França. A imagem da Sagrada Família veio de São Paulo e permanece até hoje na Igreja. A frente da Capela foi erguido um coreto, onde eram realizados os leilões nas animadas quermesses.

Com o passar do tempo, a Vila Silvéria foi crescendo e a necessidade de construir um posto de saúde, fez com que a Prefeitura Municipal assinasse um acordo com a Diocese de Patos de Minas, passando parte dos terrenos da igreja para o Município. Em troca, a Prefeitura haveria de construir uma nova igreja, bem maior que a antiga Capela, e um salão comunitário para as atividades pastorais e sociais da comunidade. Era o ano1989. O contrato foi assinado pelo Prefeito de Araxá, Sr Waldir Benevides de Ávila e o então Bispo Diocesano de Patos de Minas, O Exemo e Revmo. Sr. Dom João Oliver de Faria.

Em 1990 a antiga Capela foi demolida, dando espaço a uma igreja bem maior, mas despida de qualquer beleza. Nos fundos foi construído o salão comunitário. No primeiro domingo após o Natal, Festa da Sagrada Família, as obras foram entregues à comunidade em solene liturgia presidida pelo Bispo Diocesano e concelebrada pelo Pároco de São Domingos, Pe José Perfeito, responsável pela Comunidade da Vila Silvéria.

Na Comemoração dos 2000 anos do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, a cidade de Araxá passou a integrar o território pastoral da Arquidiocese de Uberaba.

Visando melhor atender o povo de Deus, o Exemo e Revmo Sr. Dom Aloísio Roque Oppermann, Arcebispo de Uberaba, desmembrou parte do território das Paróquias de São Domingos e Santo Antônio, criando assim, a nova Paróquia Sagrada Família.

Em festa a comunidade da Vila Silvéria viu a sua “igrejinha”, nome carinhoso com que os araxaenses se referiam a capela primeira e que permaneceu após a construção da nova igreja, tornar-se a quinta Igreja Matriz de Araxá. Era o dia 25 de setembro de 2001, data em que além da instalação da nova Paróquia, tomou posse o seu primeiro Pároco, o Revmo Sr Pe Antônio Carlos dos Santos, que permaneceu a frente da Paróquia até janeiro de 2013.

Em seu paroquiato foram construídos o Centro de Pastoral, a Casa Paroquial e o Escritório Paroquial. A Igreja foi toda reformada e ornada de beleza, passando a ser o palco de muitos enlaces matrimoniais.

A 05 de fevereiro de 2013, tomou posse como novo Pároco da Paróquia Sagrada Família, o Revmo Sr Pe Márcio André Ferreira Soares, que trouxe à Comunidade Paroquial um novo vigor pastoral. Alegre e comunicativo, Pe Márcio vem agregando novos valores e dinamismo a comunidade.

Com ele foi construída a Arena Família de Nazaré, a entrada social da Casa Paroquial, a reforma do Salão Paroquial e atualmente está realizando uma grande obra estrutural e arquitetônica na igreja.

Compõe o espaço territorial da Paróquia Sagrada Família os seguintes Bairros: Vila Silvéria, Fertiza, Dona Beja (Comunidade Nossa Senhora da Abadia), Parque das Flores (Comunidade São Francisco de Assis), Jardim Cecília (Comunidade Santa Cecília), Guilhermina Vieira Chaer (Comunidade São Judas Tadeu) e a Estância Hidromineral do Barreiro, onde fica a Capela de Nossa Senhora da Graças.

A Paroquia atende ainda as Comunidades Rurais da Boca da Mata (Comunidade do Divino Pai Eterno) e a Comunidade dos Oliveiras (Capela São Sebastião).

Padre Márcio André

Diácono Rodrigo

Diácono José Eustáquio